2004-11-03

Ohio

Estado do Nordeste dos EUA (desde 1803) com a área de 106 764 km2 e uma população de 11 milhões de habitantes. Capital: Columbus. Outras cidades importantes: Cleveland, Cincinnati, Toledo e Akron.
Produz cereais, batata, tabaco e açúcar e cria gado bovino e porcino.
O subsolo é rico em carvão e petróleo.
Possui siderurgia, fabrico de máquinas e indústria de borracha.
Decidiu as eleições americanas de 2004.

2004-10-06

Amália Rodrigues

Cantora de fado e artista portuguesa (Lisboa, 1920 - ibid., 1999).
Nascida de uma família originária da Beira Baixa, os primeiros anos de vida são passados em extrema pobreza. Vendedora de fruta em Alcântara, aos quinze anos a sua voz torna-se notada e é escolhida para solista da Marcha de Alcântara, estreando-se, assim, nas ruas de Lisboa em 1936.
Casa pela primeira vez em 1940, mas o casamento dura apenas dois anos. Em 1939 estreia-se no Retiro da Severa onde obtém um êxito retumbante que a leva a outras casas como o Solar da Alegria e o café Luso.
Em 1940 participa na primeira revista da sua carreira, Ora Vai tu..., no Teatro Maria Vitória, a que se sucedem várias actuações em casas de fado, revistas e operetas. É nesta altura que conhece o compositor Frederico Valério que comporia alguns dos seus maiores sucessos.
Em 1944 actua em Madrid e, depois, parte para o Rio de Janeiro, onde grava o seu primeiro disco e onde obtém um sucesso retumbante.
Regressada a Lisboa em 1946, em 1947 participa no seu primeiro filme (Capas Negras) a que se sucede, no ano seguinte, Fado - História de uma Cantadeira e, em 1949, Vendaval Maravilhoso. Entretanto actua em Paris e Londres.
Em 1950 participa nos espectáculos do Plano Marshall (Trieste, Berna, Dublin, Paris e Roma) ao lado dos maiores artistas de todo o mundo. A sua carreira internacional está definitivamente lançada.
África, México, Hollywood, Nova Iorque (1952, 1966, 1977), Moscovo e Tóquio (1970), Brasil (1972), Paris, onde é primeira vedeta no Olympia (1957, 1966), etc.
Entretanto participa em peças de teatro e no filme francês Os Amantes do Tejo, em 1956, e casa pela segunda vez no Rio de Janeiro em 1961.
Em 1962 dá-se o seu encontro com o compositor Alain Oulman que cria para ela um tipo de música que lhe permite cantar poetas como Camões, David Mourão-Ferreira, Alexandre O'Neil, Pedro Homem de Mello. Os puristas do fado escandalizam-se.
Em 1985 dá o seu primeiro concerto a solo em Portugal, no Coliseu dos Recreios em Lisboa e em 1997 publica um livro de poemas, Versos. Aliás, nos últimos anos interpreta fados com letra da sua autoria.
Verdadeiro mito nacional, foi agraciada com inúmeras condecorações nacionais e estrangeiras.
É impossível destacar todos os principais êxitos da sua carreira e da sua extensíssima discografia: Fado do Ciúme, Foi Deus, Ai Mouraria, Fado Malhoa, Fado Amália, Gaivota, Povo que Lavas o Rio, etc.
Faleceu a 6 de Outubro de 1999.

Aniversário

Diz-se do dia do ano que corresponde a um acontecimento, ou em que alguém faz anos; volta anual do dia em que se deu certo acontecimento; festa com que se comemora essa data.

O de hoje vai para o grande amigo TMA da Doce da Avozinha.

2004-09-23

Haiti

Estado independente que ocupa o terço ocidental da ilha Hispaniola ou de S. Domingos, no mar das Caraíbas. Tem uma superfície de 27.750 Km2, cerca de 7 milhões de habitantes.
É banhado a norte pelo oceano Atlântico, a leste confina com a República Dominicana, a sul com o mar das Antilhas e a oeste com o Canal do Vento. A capital é Port-au Prince. As línguas oficiais são o francês e o crioulo. O catolicismo é a religião professada pela maioria dos habitantes. A unidade monetária é o gourde (HTG).
Geografia Física
O seu relevo faz parte do conjunto de cadeias montanhosas orientadas de Oeste para Este, separadas por depressões, que formam a grande ilha; a cadeia central, de rochas cristalinas, está cercada de maciços sedimentares que culminam na montanha de Selle (2680 metros), já em território do Haiti. O clima é do tipo tropical, com temperaturas que variam entre 20º e 34º C e chuvas mais concentradas nos meses de Abril a Junho e em Outubro e Novembro.
Nas regiões montanhosas, as florestas, ainda mal exploradas, são ricas em mogno e jacarandá; também existem o pinho e o cedro. Nas partes mais áridas predominam as espécies xerofíticas. As savanas caracterizam a flora do país.
Geografia Humana e Económica
Os habitantes do Haiti descendem, na sua grande maioria, dos escravos africanos. Cerca de 95% da população é negra; os restantes são, na sua maior parte, mulatos. O Haiti é um dos países mais pobres do mundo, e a sua situação económica, baseada essencialmente na agricultura (que representa 35% do PNB e emprega 66% da população activa), não dá sinais de evolução. A principal fonte de divisas estrangeiras está na exportação de café, seguindo-se o açúcar, o sisal, o algodão e as bananas. O principal parceiro comercial são os EUA.
A indústria, que apenas representa 22% do PNB e ocupa 10% da mão-de-obra, está em crise. A exploração de bauxite foi encerrada; o manganésio, o ferro ou o mármore, que constituem fontes de rendimento continuam por explorar. O turismo diminuiu em função dos problemas económicos e sociais do país.
História
Cristóvão Colombo, ao serviço de Espanha, descobriu o Haiti em 1492 e tomou posse dela, chamando-lhe ilha «Hispaniola».
Pelo tratado de Ryswik (1697), a Espanha cedia à França parte da ilha, a que os Franceses chamaram colónia de São Domingos.
Em 1776, foram fixados pela Espanha e França os limites dos seus respectivos territórios. As revoltas dos escravos obrigaram a França a abolir a escravatura em 1794.
Em 1801, Toussaint L’Ouverture, antigo escravo que tinha chegado a general francês e era governador da colónia, reuniu uma assembleia de dez membros que redigiu uma constituição e foi eleito governador vitalício. Em 1804 é proclamada a independência por Dessalines, do novo Estado, a que denominavam de Haiti (Terra Montanhosa). A Assembleia elegeu então Henri Christophe, que governou como imperador até 1820. No Sul, à morte de Dessalines, foi eleito Alexandre Pétion em 1807. Desde essa data, o território esteve dividido em dois e com dois presidentes. Pétion, no Sul, foi progressivo e favoreceu as obras públicas; Christophe, no Norte, foi despótico e o seu governo terminou em 1820 com uma insurreição geral e o suicídio do ditador.
Assumiu a presidência de todo o país Jean Pierre Boyer, que, desde 1818, governava o Sul.
Durante a segunda metade do século XIX, o Haiti esteve agitado por inflamadas lutas políticas, que exaltaram e derrubaram numerosos governos sucessivamente.
Em 1915 foi assassinado o ditador Guillaume Sam, o que motivou, nos meados desse ano, a ocupação militar dos EUA, que, não obstante, declararam reconhecer, mediante um tratado, a independência do Estado Haitiano. Esta situação prolongou-se até 1934, data em que Franklim Roosevelt e Stevio Vicent acordaram na retirada das tropas norte-americanas.
O médico François Duvalier (conhecido por Papa Doc), ascendeu à presidência em 1957 e tornou-se presidente vitalício em 1964, apoiado por uma milícia popular (os tonton macoutes) que perseguiu os adversários do regime, os tíbios e apenas suspeitos, fazendo gorar todas as tentativas para levar o país para a via democrática: prisões arbitrárias, extorsões, violências de toda a ordem, execuções sumárias e extermínio de famílias inteiras. Os EUA prestaram auxílio económico a Duvalier. Antes de morrer (1971), designou para lhe suceder o seu filho Jean-Claude Duvalier (Baby Doc), que se tornou, aos 19 anos de idade, presidente vitalício da República do Haiti, continuando a política despótica de seu pai.
Em 1985, 50.000 adolescentes efectuam uma marcha pela paz e os EUA decidem suspender a sua ajuda económica ao país.
É criado oficialmente o Partido Nacional Progressista, primeiro e único partido autorizado. A Igreja Católica afasta-se do poder.
Em 1986, com a escalada da violência é decretado o estado de sítio e Duvalier pede asilo a França.
Em 1987, uma nova Constituição é aprovada e, em 1988, Leslie Manigat é eleito presidente do Haiti. Em 19902, regressa o estado de emergência.
Demite-se o então presidente, Prosper Avril, assumindo provisoriamente a chefia do Estado uma mulher, Hertha Pascale Throuillot.
É eleito Jean-Bertrand Aristide, mas num clima de grande instabilidade e violência. A destituição de Aristide pela força não tardou. Desta vez o golpe foi encabeçado pelo general Raoul Cédras, que colocou Joseph Nérette provisoriamente na cadeira presidencial.
A situação degradou-se e a ONU promove um embargo petrolífero e militar ao Haiti em 1993.
Em 1994, a Onu autoriza os EUA a intervir militarmente no Haiti. Em 1995, as tropas das Nações Unidas rendem as norte-americanas, e em 1996, René Preval é eleito para a presidência com 72% de abstenções.
Uma pequena missão da ONU manteve-se no Haiti, com funções policiais. Porém, a política de Preval, ao mesmo tempo que suscita esperança, tem provocado desconfianças e resistências.
Em 2000 partem os últimos soldados americanos e a ONU envia uma missão civil de 100 de ajuda ao Haiti.
Aristide é eleito presidente, também com uma forte abstenção. Entre golpes de Estado e conseqüente instabilidade económica e social, o Haiti vai vivendo tempos difíceis.
Em 2004, após um período de muita tensão, o Palácio Nacional é ocupado pelo novo Presidente Alexandre Boniface.
Gérard Latortue assume o leme do governo como primeiro-ministro.
Na última semana, o Haiti é arrasado pelo tufão Jean que mata mais de 1000 pessoas, e coloca a zona como uma das mais pobres actualmente no Mundo.

Educação

Polidez; cortesia; instrução; disciplinamento.
Pedagogia
Educar significa, etimologicamente, «elevar», «tornar maior» e aplica-se ao desenvolvimento das faculdades do homem, intelectuais e físicas.
Há educação quando alguém mais experiente ajuda um indivíduo mais novo a descobrir os seus próprios limites e a superá-los. É assim que agem os pais em relação aos filhos, os professores em relação aos alunos, os companheiros de ofício para com os aprendizes, os «veteranos» em relação aos «novatos».
A educação não consiste em transmitir ao aluno o saber acumulado pelo mestre (esse é um dos aspectos do ensino); deve antes levar o novato a ser capaz de encontrar por si próprio o alimento que mais lhe convenha. Deve assim desenvolver em primeiro lugar a suas faculdades, levá-lo a descobrir as que exerce com mais desenvoltura e lhe dão maior prazer. Então o discípulo toma conhecimento dos seus limites e deseja ultrapassá-los; descobre novos horizontes, interroga-se sobre eles, aprende a traduzir a sua curiosidade em interrogações precisas e razoáveis, a não se contentar com respostas aproximativas e a encadear novas interrogações até obter uma resposta satisfatória para si e, se possível, para os outros.
Educação e Ensino.
Educação e ensino não são, portanto, a mesma coisa.
Em primeiro lugar, porque o ensino é ministrado a uma pluralidade de indivíduos formando grupos muitas vezes não homogêneos pelos gostos e o grau de desenvolvimento das faculdades: enquanto um aluno acompanha penosamente um curso, outro marca passo com impaciência. Depois, porque provas e exames tende, de maneira quase inevitável, a impor aos candidatos um molde idêntico: é preciso conhecer um programa e aceitar as «regras de jogo» que podem não convir a certos espíritos brilhantes e independentes.
Finalmente, porque o ensino tem necessariamente os seus limites: só um espírito bem formado, bem educado, pode construir sobre os alicerces lançados e ir mais longe.
O objectivo de um ensino ideal não é atulhar a memória, mas formar espíritos independentes e ágeis; objectivo que se atinge apenas com os melhores alunos – uma minoria.

2004-09-02

Aborto

Acto ou efeito de abortar; parto prematuro; produto desse parto; produção imperfeita; anomalia; coisa monstruosa; malogro; (fig.) pessoa muito feia ou defeituosa (física ou moralmente); em botânica, designa o órgão que não se desenvolveu ou a paragem prematura no desenvolvimento do mesmo.
Medicina
Expulsão do feto humano antes da possibilidade de sobreviver fora do seio materno, ou seja, normalmente antes da 28ª semana de gravidez. Pode ser espontâneo ou provocado.
O aborto espontâneo acontece em 10% das grávidas, geralmente antes do 4º mês, podendo até passar despercebido.
O aborto provocado pode ser directamente intentado por meios que têm apenas essa finalidade, ou pode ser realizado quando a continuação da gravidez ponha em perigo a vida da mãe (aborto terapêutico).
A discussão acerca da legitimidade e dos limites do aborto interessa hoje à biologia, à ética, ao direito e à política. O aborto é considerado criminoso pelas ordenações jurídicas que o consideram um atentado contra o direito – natural – à vida, com as consequências penais daí decorrentes.
A Igreja Católica condena-o como pecado grave, fundamento de excomunhão, admitindo-o apenas em casos terapêuticos.
A legislação portuguesa, pelos artigos 140º a 142º do Código Penal admite-o sendo efectuado por médico em instalação de saúde oficial ou oficialmente reconhecida, com o consentimento da mulher grávida, e se for realizada nas primeiras doze semanas de gravidez.

2004-08-30

Jogos Olímpicos - Modalidades XXII

Atletismo
Conjunto de exercícios físicos que pretendem o desenvolvimento perfeito do corpo e visam ao mesmo tempo uma completa harmonia das formas.
O atletismo era já praticado na Grécia cerca de 2000 anos a.C. e teve papel preponderante nos Jogos Olímpicos da Antiguidade (884 a.C. – 394 d.C.).
Após o seu desaparecimento, com a dominação romana, decorreram quinze séculos até retomar a forma competitiva moderna. Assim, em 1850, aparecera,m na Grã-Bretanha as primeiras corridas pedestres e, em 1864, provas completas de atletismo entre equipas de estudantes de Oxford e Cambridge. Finalmente, com o renascimento dos Jogos Olímpicos, em 1896 (Atenas) devido à acção de Pierre de Coubertin, o atletismo assumiu a sua forma actual e readquiriu a sua popularidade.
Provas
São obrigatoriamente as seguintes: Corridas de 100, 200, 400, 800, 1500, 5000 e 10000 metros; o percurso da maratona é de 42,195 Km; corridas de obstáculos (110, 400 metros barreiras e 3000 metros obstáculos); corridas de estafetas (4 x 100 metros e 4 x 400 metros); marcha atlética (20 e 50 Km); saltos em altura, em comprimento, à vara e triplo salto; lançamentos do peso, disco, dardo e martelo; o decatlo e o pentatlo, séries de provas combinadas.
As provas femininas são, com ligeiras diferenças, as mesmas.
No Inverno disputam-se os corta-matos, corridas através dos campos, com obstáculos naturais ou artificiais.
Os campeonatos
Além dos Jogos Olímpicos, os Campeonatos Europeus constituem, de quatro em quatro anos, desde 1934, uma série de provas importantes.
Em Portugal, as competições são organizadas pela Federação Portuguesa de Atletismo (fundada em 1921 com o nome de Federação Portuguesa de Sports Atléticos), mas só a Federação Internacional de Atletismo Amador pode homologar recordes.
O atleta procura não só a vitória nas provas, como melhorar os tempos e marcas recordes.



Jogos Olímpicos - Modalidades XXI

Voleibol
Jogo que consiste em fazer com que a bola, batida com as mãos, vá cair no chão do adversário após ter ultrapassado uma rede divisória. Como o basquetebol, nasceu em 1895 nos EUA, num colégio de Springfield, graças a W.G. Morgan, director do ginásio. As partidas são disputadas num campo com 9 m x 18 m, rodeado por um área livre de 3 m. A zona de ataque é delimitada por uma linha distante de 3 m da rede que divide o campo. O peso da bola é de 270 a 300 g. E a sua circunferência é de 65 cm. A rede divisória tem 9,5 m de comprimento, 1 m de altura e está colocada a 2,43 m do solo para equipas masculinas e 2,24 m para equipas femininas. Inicialmente cada equipa era composta por cinco jogadores, mas cedo passou para seis, três à frente (atacantes) e três atrás (defesas).
O primeiro campeonato europeu realizou-se em 1948 e o primeiro mundial em 1949, entrando no programa olímpico nos Jogos Olímpicos de 1964.



Jogos Olímpicos - Modalidades XX

Remo
De origem inglesa, as primeiras regatas realizaram-se em 1715, no Tamisa; um século mais tarde disputa-se o primeiro dos célebres encontros universitários Oxford-Cambridge.
Este desporto foi introduzido em Portugal pelo conde de Alcáçovas, que organizou em 1852 as primeiras regatas em Paço de Arcos.
Em 1920 criou-se a Federação portuguesa de Remo.
As embarcações podem ser de madeira (geralmente cedro, de metal leve (alumínio) ou de fibra de vidro. O seu formato é estreito e muito comprido e os remadores ficam sentados em bancos móveis (slides).
Há dois tipos distintos de embarcações, o yolle e o shell. Destes, o primeiro é mais largo, de madeira trincada, e a forqueta onde assenta o remo está na borda de barco; destinado à aprendizagem, é, no entanto, muito utilizado entre nós em competição. O shell, também conhecido por outrigger, é mais estreito, com forquetas na extremidade das aranhas, requer melhor técnica e é igualmente usado pelos clubes portugueses. As regatas internacionais e os Jogos Olímpicos só são disputados em embarcações deste tipo. Como tipo intermédio, há ainda o yollete. O shell pode ser de remos parelhos ou de ponta, conforme o remador dispõe de dois ou de um só remo. Os shells pesam de 15 a 95 kg, consoante o número de remadores a que se destinam. O shell de 8 pode atingir a velocidade de 24 km/h. O percurso olímpico, assim como a maioria das regatas, é de 2000 metros. Há no entanto provas de fundo, como Oxford-Cambridge (6800 metros).

2004-08-29

Jogos Olímpicos - Modalidades XIX

Tiro
Tiro de precisão: modalidade desportiva em que se procura atingir o centro de um alvo, em precisão pura ou em velocidade, segundo fórmulas ou disciplinas reconhecidas internacionalmente.
As armas normalmente utilizadas são as pistolas ou carabinas de bala (calibre 5,6 mm, mais conhecido por 22) ou pneumobalísticas (ar comprimido ou CO2, calibre 4,5 mm).
Integra o calendário olímpico desde a primeira edição da Era Moderna. As disciplinas mais comuns em Pistola Homens, incluídas no calendário olímpico, são Pistola Ar Comprimido (a 10 m), Pistola Livre (bala, a 50 m) e Pistola Velocidade (bala, a 25 m). Para Senhoras e Juniores, Pistola de Ar Comprimido e Pistola Sport a 25 m.
As disciplinas mais comuns em Carabina Homens, também incluídas no calendário olímpico, são Carabina Ar Comprimido (de pé a 10 m), Carabina Deitado (bala, a 50 m) e Carabina 3 posições. Para Senhoras e Juniores, Carabina de Ar Comprimido e Carabina 3 posições (bala, a 50 m). A diferença fundamental entre o tiro com Pistola e com Carabina reside no facto de a Pistola ser empunhada e disparada apenas por uma das mãos, sem outro apoio e sempre na posição de pé, enquanto que a Carabina é disparada com uma mão e apoiada na outra, no ombro e na cara, sendo executada nas 3 posições descritas.
Em Portugal parece ter sido a Associação Nacional de Tiro Lisbonense, criada em 1868, o primeiro clube de tiro ao alvo do País. Teve, porém, duração muito curta.
Este desporto mereceu, inicialmente, todo o apoio das instituições militares, mas em 1891 foi promulgado um diploma concedendo regalias a atiradores civis.
Em 1916 criaram-se sociedades de tiro, na dependência de federações distritais, subordinadas, por sua vez, à Federação Nacional de Tiro.
Existem muitos praticantes de tiro aos pratos, disciplina difícil, porquanto o lançamento mecânico atira os pratos, de 12 cm de diâmetro, para os ângulos mais imprevistos e a uma velocidade de 70 a 80 km/h.

Jogos Olímpicos - Modalidades XVIII

Ténis de Mesa
O mesmo que pingue-pongue. Pratica-se com uma bola de celulóide e raquetas de madeira recobertas de borracha, sobre uma mesa dividida ao meio por uma rede. Os jogadores podem ser dois (singulares) ou quatro (pares).
Aquele que totalizar primeiro 21 pontos ganha o jogo, salvo se houver empate a 20 pontos, que a obriga a continuação até que haja uma diferença de dois pontos.
O jogo desenvolveu-se em Inglaterra no fim do século XIX e foram os ingleses que organizaram os primeiros campeonatos.

Jogos Olímpicos - Modalidades XVII

Ténis
Jogo em que uma bola cheia de ar e forrada de flanela é batida com raquetas, de um lado para o outro por cima de uma rede que divide o campo em duas partes iguais.
Os jogadores podem ser dois (singulares) ou quatro (pares). Quando o jogador bate a bola de maneira que ela fique na rede ou caia fora das linhas de marcação do meio campo adversário, este último ganha um ponto. A contagem dos pontos é feita por bola, jogo, set e partida.
O jogo pode ser praticado em recintos cobertos ou ao ar livre.
O ténis propriamente dito tem a sua origem no jogo francês Jeu de paume, em que a bola era batida com a palma da mão. As regras foram estabelecidas em 1874 e permaneceram assim até aos nossos dias.



Jogos Olímpicos - Modalidades XVI

Natação
As primeiras competições foram organizadas por ingleses em 1837 e a travessia do canal da Mancha, pelo capitão Matrhey Webb, em 1875, favoreceu a popularidade deste desporto, que não tardou a ser inscrito nos Jogos Olímpicos.
As provas de natação são várias, conforme os diferentes estilos:
Bruços, técnica simultânea e a mais lenta, onde as acções de braços são simultâneas assim como as de pernas. A acção das pernas é semelhante à pernada da rã e, ao contrário das outras técnicas, têm um efeito propulsivo importante. A respiração ocorre no início da recuperação dos braços, quando o tronco é elevado acima da água.
Crawl, técnica alternada de braços e pernas, é aa técnica masis rápida de todas. A respiração é feita lateralmente, os braços têm uma acção predominantemente propulsiva, recuperam fora da água saindo junto à coxa e entrando no prolongamento da cabeça, ora um ora outro. As pernas efectuam um movimento alternado de cima para baixo, tendo essencialmente um papel equilibrador. Esta técnica julga-se proveniente da Polinésia e mais tarde implementada pelos Australianos nos começos do século XX.
Mariposa, derivada do estilo bruços, é uma técnica simultânea, constituindo-se a segunda técnica de nado mais rápida. A ondulção típica do corpo, é uma das características e necessária ao equilíbrio dinâmico do corpo.
Costas, técnica alternada, nadada em posição dorsal. As acções de braços e de perdnas são igualmente alternadas, a respiração faz.se sem grandes condicionantes visto a cara permanecer fora de água.
Os nadadores devem percorrer o mais rapidamente possível a distânci fixada (50, 100, 200, 400, 1500 metros), numa piscina com 50 m de comprimento.
Há ainda a acrescentar as provas de salto, que estão igualmente sujeitas a regras fixadas, tanto no que diz respeito à altura do mergulho como à figura a executar.Refiram-se ainda modalidades aquáticas em que a natação é necessária como o pólo aquático e ainda a natação sincronizada.

Jogos Olímpicos - Modalidades XV

Pentatlo
No pentatlo dos Jogos Olímpicos da antiga Grécia eram disputadas provas de salto (triplo salto), corrida (três estádios, aproximadamente 600 metros), lançamento de disco, dardo e luta. O objectivo era, assim como actualmente, conseguir atletas completos. De todas as competições era a luta a última a ser disputada e que merecia mais atenção.
O pentatlo moderno figurou pela primeira vez no programa dos jogos Olímpicos de Estocolmo (1912).
A sua introdução deve-se a Pierre de Coubertin, que via na adaptação do pentatlo grego «o verdadeiro sacramento do atleta completo». Este engloba cinco modalidades diferentes: esgrima, hipismo, tiro, corta-mato e natação.
Esgrima
A arma empregada pelos concorrentes é a espada. O encontro é feito em uma única parte e cada assalto é disputado até ao primeiro touché. Se decorridos três minutos não houve nenhum touché, conta-se um touché para cada um dos competidores. Em caso de empate para o primeiro lugar, procede-se a um combate de barrage.
Hipismo
Prova com 12 obstáculos à altura máxima de 1,20 m, usando um cavalo desconhecido que é sorteado.
Tiro
Vinte (quatro séries de cinco tiros) tiros de pistola de ar comprimido sobre um alvo colocado a 10 metros.
Corrida
Corta-mato com 3000 m de distância.
Natação
Prova de 200 m em estilo livre.



2004-08-28

Jogos Olímpicos - Modalidades XIV

Luta
Combate entre dois atletas saindo vencido o que tocar o solo com as espáduas. Sujeito a regras, permite o desenvolvimento de todos os músculos do corpo e ao mesmo tempo requer trabalho cerebral e poder de decisão para efectuar combinação de presas, fintas ou paradas.
Já praticada desde cerca de 5000 a.C., nos jogos Olímpicos Modernos figuram a luta greco-romana e a luta-livre: na primeira não podem ser aplicados golpes abaixo da cintura, exigindo-se mais força que agilidade, mais técnica que velocidade; na segunda é permitido prender as pernas do adversário e servir-se das próprias para aplicar golpes, exigindo-se aos praticantes grande rapidez e bastante resistência.



Jogos Olímpicos - Modalidades XIII

Judo
É a arte do combate corpo a corpo, contra adversários armados ou desarmados. Derivado do jiu-jitsu, foi sintetizado por Jigoro Kano em ordem a obter o equilíbrio físico e mental dos seus participantes.
Na prática do judô existe um sistema emulativo, que caracteriza os seus praticantes, baseado numa série de provas para a passagem de categoria (definida pela cor do cinto) que por ordem crescente será: branco, amarelo, laranja, verde, azul, castanho e preto (1º, 2º, 3º, ..., dan).
O Judo desenvolveu-se em Portugal através da acção do mestre japonês Kyoshi Koboyashi.
Desde 1964 que faz parte do programa olímpico.



2004-08-27

Jogos Olímpicos - Modalidades XII

Hóquei em Campo
Cada equipa de onze jogadores, distribuídos pelo campo (que é rectangular e relvado, com 91 x 50/55 metros), tenta, com ajuda de um stick, enviar a bola (cortiça e fio, revestida de couro, com 156 a 163 gr.) para a baliza adversária.
As regras do jogo foram fixadas em Inglaterra no século XIX. A Federação Internacional de Hóquei foi fundada em Paris, em 1924.
As melhores equipas são as indianas e paquistanesas.
Geralmente os amadores jogam sobre relva e os profissionais em campo pelado. Cada jogo é composto de duas partes de 35 minutos, com um intervalo de 5 minutos.
Entrou no programa olímpico em 1928.
A introdução deste desporto em Portugal deve-se ao clube Sport Lisboa e Benfica.

Jogos Olímpicos - Modalidades XI

Halterofilismo
Desporto que consiste no levantamento de pesos. Os halterofilistas são agrupados em 9 categoria: até 52 Kg (mosca), 52/56 Kg (galo), 56/60 Kg (pluma), 60/67,5 Kg (leve), 67,5/75 Kg (médio), 75/82,5 Kg (meio pesado), 82,5/90 Kg (pesado ligeiro), 90/110 Kg (pesado) e mais de 110 Kg (super-pesado).
As provas desenrolam-se num estrado com 4 metros de lado, limites que não podem ser ultrapassados, utilizando os concorrentes barras de levantamento com discos fixados por apertos, colocados pela ordem a seguir apontada: 25, 20, 15, 10, 5, 2 ½ e 1 ¼ Kgs.
Os atletas envergam maillot de corte regulamentar, ligaduras nos joelhos e pulsos, botas com tacões até 2 cm e uma cintura larga até 10 cm.
Actualmente existem apenas dois tipos de levantamento: o arranque e o arremesso, dispondo os concorrentes de três ensaios em cada.
A competição inicia-se pelo arranque e após a conclusão deste segue-s o arremesso. Conta o somatório dos dois melhores levantamentos em cada especialidade. Em cão de empate recorre-se ao tempo de execução.
A progressão mínima entre o primeiro e o segundo ensaios é de 5 Kg e de 2,5 para o seguinte. A barra em nenhuma circunstância baixa de peso, não existindo limite para o máximo a levantar. Admite-se um ensaio extra para tentativa de recorde.



Jogos Olímpicos - Modalidades X

Ginástica
Designa um grande número de exercícios físicos, progressivos e metódicos, que visam o desenvolvimento e a saúde dos orgãos do corpo, de harmonia com as leis fisiológicas e higiênicas.
Praticada desde há muito na China e na Índia, foi largamente incrementada pelos Gregos, pois era básica na educação dos jovens. Com a abolição dos antigos Jogos Olímpicos, por Teodósio, em 394 d.C., esteve esquecida durante séculos. Só no Renascimento foi reiniciada pelo médico italiano Mercurialis, possivelmente com fins terapêuticos. Na Idade Moderna, a ginástica teve dois grandes períodos de desenvolvimento: o dos precursores, como Guthsmuths (1759-1839), Nachtegall (1777-1847) e Froebel (1782-1852), e dos grandes iniciadores, como Yahn (1778-1852), Pestalozzi (1746-1871), Chias e Per Henrik Ling (fundador da chamada ginástica sueca).
Em Portugal, a ginástica foi introduzida em 1838 na Real Casa Pia de Lisboa , em 1867 na Escola do Exército e em 1868 na Escola Naval. Em 1902 tornou-se obrigatória no ensino secundário e nos últimos anos tem havido tentativas para o seu incremento no ensino primário.
Foi incluída no programa dos Jogos Olímpicos de Atenas, portanto aquando da sua renovação por Pierre de Coubertin.
Os primeiros campeonatos do Mundo realizaram-se em Antuérpia (1903). Estes são de quatro em quatro anos, intervalando com os Jogos Olímpicos.
Desde 1952 os exercícios estipulados para provas oficiais são:
Homens
a) aparelhos
Barras Paralelas
: de madeira, com 3 metros a 3,5 metros de comprimento, colocadas à altura de 1,5 metros a 1,75 metros e distanciadas 40 a 46 cm;
Barra Fixa: de aço, com 28,3 mm de diâmetro e colocada a 2,40 metros de altura;
Argolas: suspensas por duas cordas, as argolas, de madeira, distam 2,40 metros ou 2,50 metros do solo e são separadas 32 cm uma da outra. O «cristo» (braços horizontais) é um dos exercícios mais conhecidos e de execução mais difícil;
Cavalo Simples: tem 1,60 metros de comprimento e 1,55 metros de altura;
Cavalo com arção: semelhante ao anterior, mas com duas pegas na zona central distanciadas 42 cm uma da outra e com 12 cm de altura;
b) Solo
O tapete utilizado para os exercícios de solo tem 12 metros por 12 metros e a actuação do ginasta dura entre 60 a 90 segundos.
Senhoras
a) Aparelhos
Barra assimétrica: duas barras paralelas colocadas a alturas diferentes, uma a 2,40 metros e outra a 1,50 metros, de madeira polida e com 3 metros a 3,40 metros de comprimento e distanciadas 40 a 50 cm;
Cavalo Simples: tem 1,10 metros de altura e é colocado atravessado, contrariamente ao que acontece nas provas masculinas;
Barra Fixa: Com 10 cm de largura e 5 metros de comprimento, esta barra encontra-se a 1,20 metros do solo. A duração dos exercícios é de 80 a 105 segundos para cada concorrente.
b) Solo
As normas são idênticas às das provas masculinas, mas os exercícios são realizados ao som de música, assim como os de barra fixa.

Jogos Olímpicos - Modalidades IX

Futebol
Apesar de já na antiguidade greco-latina se jogar algo semelhante, foi na Inglaterra que nasceu o futebol moderno, em 1863, quando foi fundada a Football Association, que se esforçou por diferenciá-lo do râguebi.
Em 1872 disputou-se o primeiro campeonato de Inglaterra, do qual saiu vencedora a equipa de Wanderes.
Em 1904 foi criada, em Paris, a Fédération Internacionale de Football Association (FIFA) com inscrição dos seguintes países: França, Bélgica, Suíça, Países Baixos, Suécia, Dinamarca e Espanha.
Em 1908, entram pela primeira vez no programa dos Jogos Olímpicos e desde 1930 disputa-se de quatro em quatro anos o Campeonato do Mundo. A partir de 1920, com a difusão do futebol por todo o mundo, a supremacia inglesa diminui e começa a haver uma diferença de estilo de povo para povo: frio e rápido na Inglaterra e países da Europa Ocidental e Central, mais espectacular nos países da América Latina e Europa Meriodinal.
É disputado entre duas equipas de onze jogadores, dirigidos por um árbitro, auxiliado por dois árbitros assistentes. Cada jogo dura cerca de 1 hora e 30 minutos (duas partes de 45 minutos separadas por um intervalo de 15 minutos).
O jogo ofensivo consiste em passar a bola, sempre com os pés, de jogador para jogador, com o fim de a introduzir na baliza adversária (marcar golo). O jogo defensivo ao é mais do que a tentativa de travar este ataque, interceptando os passes adversários.
Em Portugal o primeiro desafio disputou-se em Lisboa em 1889, entre uma equipa portuguesa e uma equipa mista inglesa. Na altura apareceram as primeiras equipas: Real Ginásio Clube Português, Clube Lisbonense, Carcavelos Clube, etc. Em 1893 foi introduzido o futebol na Real Casa Pia de Lisboa.
Em 1906 foi organizado o primeiro torneio oficial pela Liga Football Association e em 1910 esta entidade filiou-se na FIFA.

Jogos Olímpicos - Modalidades VIII

Esgrima
Arte de combate que consiste no manejo de uma arma branca que, como prática desportiva, consiste em atingir um adversário sem ser tocado.
Nada tem de comum com os duelos descritos na história e na literatura, embora esses tenham sido seus antecessores.
Cingida a regras muito estritas e bem definidas, vindas directamente das tácticas de combate e de duelo (feitas em Espanha durante o Renascimento, depois em Itália e em França), é uma modalidade em que a calma, a reflexão e a decisão são desenvolvidas ao extremo.
As Armas
Três armas são utilizadas: o florete, o sabre (armas convencionais) e a espada. Só o florete é usado em competição feminina, mas as três estão incluídas no programa masculino dos Jogos Olímpicos desde 1896.
O florete é uma arma leve, pesando cerca de 500 g., com 1,10 metros de comprimento. A lâmina, que vai da extremidade ao copo, é de secção rectangular, sm gume e muito flexível;
O sabre tem uma lâmina, de secção rectangular, bastante flexível, com um peso de cerca 500 g; tem cerca de 1,05 metros de comprimento.
A espada tem lâmina de secção triangular e rígida, mede 1,10 metros e pesa 770 g.
Tanto o florete como a espada são armas de ponta, sendo o touche feito só com a extremidade, enquanto o sabre é uma arma de estoque e de corte, pois o toque tanto pode ser feito com a ponta como com o gume ou mesmo o falso gume. O problema consiste em tocar validamente o adversário, ou como agressor ou como réplica a um ataque.
O Uniforme
O esgrimista usa um fato especial, branco, leve, mas muito resistente. O rosto é protegido por uma máscara de rede de aço muito fina e uma protecção cobre o pescoço. O floretista tem por cima do seu fato um colete, tecido com fios de nylon e de cobre finamente entrançados. Esta peça permite a arbitragem eléctrica.
Arbitragem
A prova é dirigida por um presidente do júri, ladeado por quatro assistentes para as armas simples: florete e espada não eléctricos e sabre, e por um único membro do júri para assaltos com armas eléctricas: florete e espada.
Para facilitar a arbitragem e para evitar protestos, os toques de espada são detectados electricamente desde 1934.
As armas estão ligadas por um fio eléctrico que passa pela manga do fato e sai ao nível das costas dos esgrimistas direito a um aparelho que regista os toques dados e que são indicados pelo acender de uma lâmpada vermelha ou azul. A arbitragem eléctrica foi introduzida para o florete em 1956.
Esta arbitragem tem a particularidade de distinguir os toques válidos (luz vermelha ou azul) e os toques não válidos (luz branca). Os toques de corte, de sabre, não sendo ainda detectados por aparelhagem eléctrica, estão em vias de o ser.
Os combates decorrem num campo bem delimitado. A pista mede 1,80 metros a 2 metros de largura e 18 metros de comprimento (mínimo 14 metros).
Para o sabre, a pista é geralmente coberta por um tapete entrançado; para as armas eléctricas é revestida por uma rede metálica ligada ao aparelho de controle. Este dispositivo evita que as lâmpadas acendam desde que as pontas toquem o solo.
O assalto
A técnica difere conforme a arma de que se trata. Para o florete e o sabre, um toque, para que seja válido, deve ser dado numa certa zona do corpo. Para o florete a base do pescoço, ombros e virilhas; para o sabre, toda a parte superior do tronco, cabeça e braço, sendo a parte inferior delimitada pelas virilhas.
Para a espada, todo o corpo é reconhecido como zona válida.
Para as duas armas convencionais, o ataque antecede a defesa. O esgrimista atacado deve primeiro que tudo parar impedindo o avanço da arma adversária e replicar em seguida. Não há aqui toques simultâneos ou duplos golpes como na espada.
Todas as indicações da arbitragem são dadas em francês, mesmo em competições internacionais, e são seguidas pela Federação Internacional de Esgrima, criada em 1913.
Figura histórica na esgrima nacional é António Martins, iniciado no Ginásio Clube Português ainda no final do século XIX, fundador do Centro Nacional de Esgrima e autor de um Manual de Esgrima para uso do Exército, tendo deixado numerosos discípulos que implantaram a modalidade em Portugal. A Federação Portuguesa de Esgrima foi fundada em 1920.

2004-08-24

Jogos Olímpicos - Modalidades VII

Boxe
Praticada desde há muito, foi já admitido nos Jogos Olímpicos da Antiga Grécia, onde os lutadores apareciam munidos de manoplas (tiras de couro cobertas de pontas afiadas que revestiam os punhos e pulsos). É modalidade dos Jogos Olímpicos modernos desde 1904.
A linguagem técnica de boxe é muito limitada: punch, Knock-out e pouco mais.
Durante muito tempo os combates fizeram-se com os punhos desprotegidos e por vezes duravam várias horas, até à desistência ou por incapacidade física de um dos participantes.
O primeiro campeão foi James Flagg, em 1719.
Em 1743, Jack Broughton, campeão de Inglaterra durante 18 anos, fundou uma escola de boxe e introduziu o uso de luvas.
O marquês de Queensberry, em 1891, em resposta a uma sugestão do jornalista Chamberlain, decretou o boxe como «nobre arte» e publicou novas regras. Desde então poucas alterações tem sofrido.
O combate, desenrolado no ringue, tem a seguinte duração:
Amadores: 3 assaltos de 3 minutos com um minuto d intervalo entre eles;
Neoprofissionais: 6 assaltos de 2 minutos com um de descanso;
Profissionais: 6, 8, 10, 12, podendo ir até aos 15 assaltos com um minuto de intervalo.
O resultados dos combates pode ser dado de três maneiras: antes do tempo previsto (Knock-out, desistência, lançamento de esponja, e desclassificação pelo árbitro), vitória por pontos (maior categoria técnica e táctica; desde que o combate chegue ao fim), combate nulo (igualdade de valores); esta decisão é tomada pelo árbitro e pelos juízes que assistem em volta do ringue.
Para evitar qualquer acidente e todas as reclamações, os dois pugilistas são sujeitos a uma inspecção médica e são pesados na manhã do combate.
Para amortecer os golpes baixos, ilegais, os pugilistas são obrigados a usar uma protecção.
São legais os golpes de luva fechada à frente e aos lados do corpo ou da cabeça. Não são permitidas cabeçadas.

Jogos Olímpicos - Modalidades VI

Ciclismo
A competição ciclista é centenária.
Foi em 1868 que se disputou, em Saint-Cloud, a primeira corrida de bicicletas. Esta pões em competição curiosas máquinas, com selins muito altos, onde se equilibravam verdadeiros acrobatas, com camisolas justas e bonés de jokey. O vencedor foi um inglês, James Moore.
Um outro britânico, Charles Mills, foi em 1891 o primeiro vencedor da mais célebre e mais longa das corridas com uma única etapa: Bordéus-Paris.
Em 1876, em Cambridge, o inglês Doods estabeleceu o primeiro Recorde da Hora, percorrendo 25,598 Km. Esta competição que, ao longo dos anos, foi realizada grande número de vezes, em vários países do mundo, possui uma lista de recordistas onde figuram nomes lendários do ciclismo, como Henri Desgrange, Fausto Coppi, Jaques Anquetil, Eddy Merckx, Francesco Moser e outros.
Os primeiros campeonatos do mundo de amadores realizaram-se em 1893. Os títulos profissionais foram disputados dois anos mais tarde.
Em 1900 foi criada a União Velocipédica Internacional, depois denominada União Ciclista Internacional que, em 1965, criou no seu seio uma Federação dedicada ao ciclismo amador e outra ao profissional. Quase todas as federações de ciclismo no Mundo são suas filiadas.
Os países onde o ciclismo goza de maior prestígio como competição desportiva são a França, Bélgica, Itália, Holanda, Suíça, Espanha, Dinamarca, Portugal, e ultimamente os EUA.
A volta Á França, criada em 1903 pelo jornal Auto e dirigida pelo ex-campeão do Mundo Henri Desgranges, contribuiu bastante para o desenvolvimento do ciclismo nos anos que precederam e seguiram a I Guerra Mundial.
Existem provas de estrada (o tour de França, o giro de Itália, a vuelta de Espanha, a volta a Portugal), provas de pista, provas de contra-relógio, provas de corta-mato, provas de velocidade.
O ciclismo é modalidade olímpica desde os primeiros Jogos da era moderna (Atenas 1896), e essa é, no âmbito amador, a sua maior manifestação.
Em Portugal, o ciclismo é um dos desportos mais populares.
José Bento Pessoa foi o primeiro grande campeão velocipédico internacional português, batendo em Maio de 1897 o recorde mundial dos 500 metros, com 33 segundos e 1/5.
Na actualidade, como principais provas de realização anual, registam-se o Porto-Lisboa, desde 1911, a Volta a Portugal, prova por etapas, corre-se desde 1927. António Augusto de Carvalho foi o primeiro vencedor.
Grandes ciclistas portugueses: José Nicolau, Alves Barbosa, Joaquim Agostinho – o de maior carreira internacional -, Venceslau Fernandes, Marco Chagas, José Azevedo e outros.
A competição ciclista é centenária.
Foi em 1868 que se disputou, em Saint-Cloud, a primeira corrida de bicicletas. Esta pões em competição curiosas máquinas, com selins muito altos, onde se equilibravam verdadeiros acrobatas, com camisolas justas e bonés de jokey. O vencedor foi um inglês, James Moore.
Um outro britânico, Charles Mills, foi em 1891 o primeiro vencedor da mais célebre e mais longa das corridas com uma única etapa: Bordéus-Paris.
Em 1876, em Cambridge, o inglês Doods estabeleceu o primeiro Recorde da Hora, percorrendo 25,598 Km. Esta competição que, ao longo dos anos, foi realizada grande número de vezes, em vários países do mundo, possui uma lista de recordistas onde figuram nomes lendários do ciclismo, como Henri Desgrange, Fausto Coppi, Jaques Anquetil, Eddy Merckx, Francesco Moser e outros.
Os primeiros campeonatos do mundo de amadores realizaram-se em 1893. Os títulos profissionais foram disputados dois anos mais tarde.
Em 1900 foi criada a União Velocipédica Internacional, depois denominada União Ciclista Internacional que, em 1965, criou no seu seio uma Federação dedicada ao ciclismo amador e outra ao profissional. Quase todas as federações de ciclismo no Mundo são suas filiadas.
Os países onde o ciclismo goza de maior prestígio como competição desportiva são a França, Bélgica, Itália, Holanda, Suíça, Espanha, Dinamarca, Portugal, e ultimamente os EUA.
A volta Á França, criada em 1903 pelo jornal Auto e dirigida pelo ex-campeão do Mundo Henri Desgranges, contribuiu bastante para o desenvolvimento do ciclismo nos anos que precederam e seguiram a I Guerra Mundial.
Existem provas de estrada (o tour de França, o giro de Itália, a vuelta de Espanha, a volta a Portugal), provas de pista, provas de contra-relógio, provas de corta-mato, provas de velocidade.
O ciclismo é modalidade olímpica desde os primeiros Jogos da era moderna (Atenas 1896), e essa é, no âmbito amador, a sua maior manifestação.
Em Portugal, o ciclismo é um dos desportos mais populares.
José Bento Pessoa foi o primeiro grande campeão velocipédico internacional português, batendo em Maio de 1897 o recorde mundial dos 500 metros, com 33 segundos e 1/5.
Na actualidade, como principais provas de realização anual, registam-se o Porto-Lisboa, desde 1911, a Volta a Portugal, prova por etapas, corre-se desde 1927. António Augusto de Carvalho foi o primeiro vencedor.
Grandes ciclistas portugueses: José Nicolau, Alves Barbosa, Joaquim Agostinho – o de maior carreira internacional -, Venceslau Fernandes, Marco Chagas, José Azevedo e outros.

Jogos Olímpicos - Modalidades V

Canoagem
Desporto independente, nada tem em comum com o remo, apesar de em alguns países serem as duas modalidades seguidas pela mesma federação.
Sentado em tronco fixo, o praticante deste desporto só exercita os músculos dos braços, espáduas e tronco. Contudo, como a canoagem é praticada nos cursos de água rápida, exige também grande destreza e boas qualidades atléticas.
Este desporto pode praticar-se em dois tipos de barco: Canoa e Kayak.
A canoa, originária do Canadá, é leve, de fundo chato, de forma delgada e com a proa e popa afiladas.
Os índios servem-se dela para se deslocarem em águas pouco profundas, por entre juncos e para descerem quedas.
Os Franceses e Ingleses imitaram os indígenas, não com fim desportivo mas utilitário.
Só em 1865 se criou em Inglaterra o primeiro clube de canoagem, o mesmo acontecendo em Colónia em 19876.
A canoa canadiana era construída em cascas de árvores.
Actualmente diversas madeiras são utilizadas com as quais se fazem dois tipos diferentes, o takefield e o peter borougt.
Os esquimós foram os primeiros a servirem-se do kayak, tipo de embarcação usado na pesca e caça. A sua construção, devido à falta de madeira, era feita com pele de foca esticada sobre uma armação de osso de rena. A parte superior, coberta, adapta-se perfeitamente à cintura de quem a utiliza e isto permite que o kayak dê uma volta completa sem que o seu tripulante saia do lugar.
Actualmente são construídos com boas madeiras, com fibra de vidro e poliestereno.
A canoagem faz parte do programa olímpico nas disciplinas de regatas em linha (provas masculinas de 500 e 1000 metros; femininas de 500 metros) e slalom (provas masculinas de kayak e canoa; femininas de kayak; ambas em águas bravas e com obstáculos), com provas de kayak de 1, 2 ou 4 tripulantes.
As diversas modalidades que pode abranger tem um número crescente de praticantes.

2004-08-23

Jogos Olímpicos - Modalidades IV

Basquetebol
Jogo que exige resistência, destreza, rapidez, vivacidade e espírito de equipa.
Foi inventado, em 1891, por James Naismith, estudante da Universidade de Springfield, no estado de Massachusetts, quando procurava um desporto de equipa que se pudesse disputar no interior de um salão.
A princípio quis instalar balizas de futebol, mas escolheu finalmente dois cestos; mais tarde optou-se por cestos sem fundo.
Depressa o basquetebol se tornou um desporto muito popular, sobretudo em liceus e universidades.
Foi incluído no programa dos Jogos Olímpicos em 1936, tendo os EUA ganho a medalha de ouro.
O basquetebol foi introduzido em Portugal pela Associação Cristã da Mocidade.
O primeiro jogo efectuou-se em Coimbra, em 1919, e a Federação Portuguesa foi fundada em 1927.
É jogado num campo rectangular com a dimensão máxima de 28 metros x 15 metros.
A finalidade é introduzir a bola no cesto adversário suspenso num quadro de madeira (a tabela).
Estes cestos são compostos por um anel de metal de 45,7 cm de diâmetro e uma rede com o comprimento de 38,1 cm a 45,7 cm, e estão suspensos a 3,05 metros do solo.
A bola tem uma circunferência de 75 a 78 cm e um peso de 600 g a 650 g.
As equipas são compostas, no máximo, por doze jogadores, dos quais cinco estão em campo: um centro ou pivot, dois asas e dois defesas. Os restantes são suplentes.
Deve-se bater a bola no chão de três em três passos (senão haverá «passos») após uma finta, e obrigatoriamente passar a bola a um companheiro (senão haverá dribble).
Se o jogador prejudicar irregularmente um adversário empurrando-o ou tocando-lhe nas mãos, há «falta pessoal». Atingindo cinco faltas, é expulso do campo.
O jogador prejudicado beneficia de um lançamento livre, ou de dois, se estava em posição de lançamento.
Estes lançamentos livres são efectuados numa linha de 4,5 metros do cesto.
Nos últimos cinco minutos de jogo qualquer falta é penalizada com dois lançamentos livres.
A partida desenrola-se em dois meios-tempos de vinte minutos cada, ou em quatro partes de 10 minutos, mas a duração real é maior devido às substituições de jogadores e dos tempos de desconto.

Jogos Olímpicos - Modalidades III

Basebol
Desporto ao ar livre disputado entre duas equipas de 9 jogadores.
O terreno é um quarto de círculo com um raio mínimo de 75 metros, tendo no vértice um quadrado de 27,5 metros de lado, chamado «diamante».
Cada equipa joga uma vez ao ataque, outra à defesa.
O ataque é conduzido por um «batedor» colocado no local de partida A (home base) que se esforça, com um maço de madeira, por devolver para longe a bola que lhe lança o pitcher ou batedor adversário.
A equipa faz um ponto se o seu batedor conseguir contornar o diamante e chegar ao local de partida sem ter sido tocado ou ultrapassado pela bola dos adversários.
Por causa da dureza da bola (com cerca de 230 mm de circunferência e 145 g de peso), os jogadores usam uma luva de couro, e o apanhador e o árbitro, além disso, uma máscara de metal, colete e protectores na pernas.
Jogo nacional dos EUA e presente nos Jogos Olímpicos desde 1996.

Jogos Olímpicos - Modalidades II

Badminton
Neste desporto, semelhante ao ténis, a bola é substituída pelo volante (pequena borracha guarnecida de penas) que vai de campo a campo sem nunca tocar o solo.
Disputa-se com dois ou quatro jogadores munidos de raquetas (de 175 g), num terreno separado ao meio por uma rede com 1,55 metros de altura.
Este campo é cerca de duas vezes menor que um court de ténis (6,10 metros x 13,40 metros para quatro jogadores e 5,18 metros x 13,40 metros para dois jogadores), quer se trate de um recinto coberto quer de um ao ar livre.
Os serviços são feitos em diagonal pelo vencedor do ponto anterior. Cada partida desenrola-se em dois sets ou três sets, de 15 pontos cada (11 para singulares femininos).
Em caso de igualdade, ao 3º ou 4º ponto, faz-se um prolongamento de 3 a 5 pontos.
É um desporto de origem indiana (Poona) e foi transformado pelos ingleses.
A sua apresentação por oficiais ingleses realizou-se em 1873, durante uma festa dada pelo duque de Glouchester na sua propriedade de Badminton, e daí o seu nome.
A partir desta data espalhou-se por todo o Mundo.
Em 1934 fundou-se a Federação Internacional de Badminton.
Henrique Pinto (Grupo Desportivo da Livraria Portugal) contribuiu bastante para a introdução de tal desporto no nosso país, tendo sido criada a Federação Portuguesa de Badminton em 1954.

Jogos Olímpicos - Modalidades I

Andebol
De origem alemã, é de todos os jogos de bola o mais recente.
Tanto pode ser jogado ao ar livre como em recinto coberto (andebol de salão).
Jogado ao ar livre tem certas semelhanças com o futebol, não só pelas dimensões do campo como pelas regras, mas, ao contrário, deste é jogado com as mãos. As equipas têm por finalidade introduzir a bola (450 g) no interior da baliza adversária, defendida por um guarda-redes. Cada golo conta um ponto. A partida é constituída por dois meios-tempos de trinta minutos cada (vinte para as senhoras).
O andebol jogado ao ar livre, em que as dimensões do campo são de 110*65 metros e as equipas são de 11 elementos, foi suplantado pelo de salão (modalidade olímpica em 1972), jogado por equipas de 7 elementos num campo de 40*20 metros com balizas de 3*2 metros; além da linha de meio-campo, o campo tem a linha de 6 metros, que delimita a área do guarda-redes, e alinha de 9 metros, a partir da qual são marcados os lances livres; a linha dos 7 metros assinala o local da marcação de livres directos sem oposição. Esta modalidade é muito mais rápida.
Os jogadores não podem dar mais de três passos com a bola na mão, nem permanecer com ela na mão (sem driblar) por mais de três segundos.
Em Portugal, a modalidade surgiu em 1929, no Porto.
É orientada pela Federação Portuguesa de Andebol, fundada em 1938.

2004-08-17

Baliza

Marco ou estaca que assinala um limite; meta; limite; sinal; cada um dos espaços delimitados, em dois extremos opostos de um campo de jogo (futebol, andebol, hóquei, etc.), para onde cada equipa, contrariando as defesas da outra, procura lançar a bola, frequentemente em madeira ou ferro, fixadas no solo.

2004-08-16

Venezuela

País situado na extremidade Norte da Merca do Sul.
Tem uma área de 912.050 Km2 e cerca de 24.655.000 habitantes.
Confina a oeste com a Colômbia, a Sul com o Brasil, a este com a Guiana e a nOrte com o mar das Caraíbas.
A capital é Caracas. A língua oficial o Espanhol. A maioria da população é católica. A unidade monetária é o Bolívar (VEB).

História
Descoberta por Cristóvão Colombo na sua viagem , em 1498, a colonização, a cargo dos Espanhóis, teve início em 1523.
A administração dependeu da Audiência de S. Domingos e, posteriormente, dos vice-reinos do México e de Nova Granada.
No século XVIII tornou-se o primeiro produtor mundial de cacau.
Pátria de Simon Bolívar, a Venezuela proclamou a sua independência em 1811, assegurada por Bolívar em 1821 com a vitória de Carabobo.
Até 1830 fez parte da Grande Colômbia.
Na sua história o país conta uma guerra civil de 9 anos (1861-1870) e com 27 anos de ditadura (1908-1935), seguindo-se a democracia.
A extracção de petróleo (descoberto em 1882) alcandorou a Venezuela a um dos países mais poderoso do Terceiro Mundo.
Apesar de o Estado ser rico, a grande massa populacional encontra-se em baixo nível de vida em virtude da má repartição da riqueza nacional.Vivendo nos últimos decênios dependente quase em absoluto da produção petrolífera, a Venezuela procura diversificar as suas formas de rendimento desenvolvendo a siderurgia e instalando a petroquímica.
A nível internacional estabeleceu acordos econômicos com a União Soviética e relações diplomáticas com a China e Cuba.
Os democrata-cristãos voltaram ao Poder, através de Luis Herrera Campins, eleito em 1979.
Nesse mesmo ano foi descoberto ao Norte do Rio Orenoco mais um importante jazigo petrolífero.
A Venezuela começou a tomar medidas drásticas para conter e diminuir o fluxo de imigração.
Em 1980, deu-se início à expulsão de 300.000 imigrantes.
Em 1981 foi renegociada a dívida pública, no montante de 21.200 milhões de dólares.
Em 1987, violentos confrontos conduzem ao encerramento das universidades.
As eleições presidenciais de 1988 foram ganhas por Carlos Andrés Pérez.Em 1989, o aumento dos preços da gasolina e dos transportes desencadeou uma onde de violência e de pilhagem nas principais cidades.
O Presidente, perante a violência dos distúrbios, decidiu suspender seis artigos da Constituição (referentes à segurança, liberdade de expressão e de reunião) e impôs o recolher obrigatório.
A situação ir-se-ia degradar ao longo da década de 90, com sucessivas revoltas, manifestações de violência e mesmo tentativas de golpe de Estado como o de Hugo Chávez, em 1992.
Em 1993 foi decretado o estado de sítio e Pérez chegou a ser suspenso e até preso.
Em 1994, Rafael Caldera Rodríguez sucede a Velásquez Mujica que tinha ficado a presidir interinamente o país.
Mas quatro anos depois, é o ex-comandante Hugo Chávez, revolucionário de extrema-esquerda, quem é eleito Presidente.
Sucedem-se greves gerais e, à agitação social, juntam-se diversas catástrofes naturais.
Em 2000, o populismo de Chávez leva-o à reeleição sem que a turbulência política, social e económica tenha parado de agitar a Venezuela.

Furacão

Tudo que destrói com violência e rapidez.
Ventania forte e repentina; Tufão; Vendaval.

Fita Magnética

Fita destinada ao registo dos sons e à sua audição pelo aparelho chamado gravador, tem igualmente encontrado um largo campo de aplicação no computadores.
Na operação de registo, esta fita passa em frente de uma cabeça de registo, que transforma as tensões eléctricas convenientemente amplificadas em campo magnético.
Os sons são captados pelo microfone, que os converte em variações de tensão eléctrica. As partículas de óxido de ferro são então magnetizadas e conservam uma magnetização remanescente que corresponde aos sons registados.
A leitura efectua-se por um processo inverso, passando a banda magnética em frente de uma cabeça de leitura que reconverte as variações do campo magnético da fita numa tensão eléctrica.
O som chega até nós graças à sua passagem num altifalante.
O fabrico das fitas magnéticas começa pela redução da matéria plástica (poliéster), que constitui o material, à forma de folhas. Impregna-se então a folha de um verniz ferro magnético, geralmente óxido de ferro. Depois de secas, as folhas cortam-se com a largura definitiva.
As fitas são controladas e depois enroladas em bobinas e por vezes inseridas em cassetes protectoras.
A qualidade das fitas depende do material empregado.
Varia igualmente com o óxido e o verniz que se empregam.

2004-08-13

Jogos Olímpicos

Desporto e História
Tiveram origem na Grécia em 776 a.C.: celebravam-se em Olímpia, na Élide, de 4 em 4 anos, no mês de Agosto, em honra de Zeus. Tinham por isso carácter religioso.
Em 472 a.C. duravam 5 dias, sendo 14 as competições. Para se poderem celebrar os Jogos Olímpicos havia tréguas sagradas, servindo estes para reforçar a união entre os Helenos e criar um clima de compreensão entre os povos em luta.
Teodósio I proibiu a celebração dos JO cerca de 394 por serem festivais pagãos.
O Barão Pierre de Coubertin (1863-1937) fundou, em 1894, O Comité Internacional Olímpico e fez ressurgir os JO, retomados em 1896: desde então, à excepção do período das duas Guerras Mundiais, têm-se celebrado cada 4 anos os JO – desde 1924 desdobram-se, havendo Jogos Olímpicos de Inverno à parte actualmente com duração de 15 dias.
Celebrados pelo espírito da fraternidade internacional, excluem toda a discriminação respeitante a um país ou a uma pessoa no ponto de vista racial, religioso e político.
Os primeiros jogos da Era Moderna realizaram-se em Atenas (1896), com as seguintes modalidades: atletismo, halterofilismo, ginástica, remo, luta, natação, tiro, esgrima, ciclismo e ténis.
Os nove primeiros destes desportos ainda hoje figuram no programa olímpico, acrescentados do andebol, basquetebol, boxe, canoagem, futebol, hóquei em campo, judô, pentatlo moderno, hipismo, tiro ao arco, saltos (comprimento, vara e altura), voleibol e voleibol de praia, pólo aquático, vela e ténis de mesa.

O Espírito Olímpico
As intenções do seu renovador, Pierre de Coubertin, deram a esta manifestação um sentido diferente a esta competição, que não se destinaria a dar aos participantes uma possibilidade de conseguir medalhas ou bater recordes, nem servir de trampolim a uma carreira profissional, mas sim exaltar o valor do desporto amador cumprido à risca.
Porém a especialização progressiva dos atletas e as exigências da alta competição foram progressivamente pondo em causa o estatuto amador dos atletas, embora se mantenha o espírito fraternal.
As insígnias e o cerimonial dos Jogos simbolizam o seu espírito fraternal e leal: o facho aceso em Olímpia e conduzido em estafeta até ao local das competições; o distintivo branco constituído por cinco anéis entrelaçados, representa os cinco continentes, o juramento olímpico e a divisa citus, altius, fortius (mais rápido, mais alto, mais forte), o desfile dos atletas divididos conforme os países através do estádio e o encerramento dos Jogos.
Os Jogos são organizados pelo Comité Olímpico Internacional, que designa, geralmente com antecedência de seis anos, a cidade (não o país – porque era em cidades que os Jogos antigos se realizavam) que terá a honra de os celebrar.
Este ano é em Atenas, daqui a quatro em Pequim, na China.

1896 – Atenas (Grécia)
1900 – Paris (França)
1904 – Sant Louis (EUA)
1908 – Londres (Grã-Bretanha)
1912 – Estocolmo (Suécia)
1920 – Antuérpia (Bélgica)
1924 – Paris (França)
1928 – Amesterdão (Holanda)
1932 – Los Angeles (EUA)
1936 – Berlim (Alemanha)
1948 – Londres (Grã-Bretanha)
1952 – Helsínquia (Finlândia)
1956 – Melbourne (Austrália)
1960 – Roma (Itália)
1964 – Tóquio (Japão)
1968 – Cidade do México (México)
1972 – Munique (Alemanha Federal)
1976 – Montreal (Canadá)
1980 – Moscovo (URSS)
1984 – Los Angeles (EUA)
1988 – Seul (Coréia do Sul)
1992 – Barcelona (Espanha)
1996 – Atlanta (EUA)
2000 – Sydney (Austrália)
2004 – Atenas (Grécia)
2008 – Pequim (China)

Coubertin (Pierre de)

Educador francês, renovador dos Jogos Olímpicos (Paris 1863 – Genebra 1937).
A sua convicção de que o desporto constituía um factor educativo importante e um elemento de paz à escala internacional inspirou-lhe a ideia de fazer reviver os Jogos Olímpicos da Antiguidade sob uma forma moderna.
Reuniu em 1894 um congresso em Paris, no qual participaram catorze nações.
Decidiu a realização dos primeiros Jogos em Atenas (1896), homenagem à tradição, e a criação do Comité Olímpico Internacional – que ainda hoje existe e organiza os Jogos.

2004-08-12

Sudão II

História
Por volta de 2000 a.c. o território foi invadido e ocupado pelos Meroítas, que haviam vivido um século no Egipto.
Os Romanos, nos primeiros anos antes de cristo, tomaram a sua capital e dominaram o país. Imperando em Bizâncio Justiniano I,o Sudão foi cristianizado, e no século VI havia já no território vários reinos cristãos, entre os quais o de Dongola.
No século XV este reino foi conquistado pelo de Fonji, do vale do rio Azul, islamizado e com a capital em Sanar.
Em 1820, o Egipto, como província do IMpério Otomano, tomou o país, que passou a ser conhecido por Sudão Egípcio.
Mais tarde, quando o Egipto se transformou em protectorado britânico, a Inglaterra deu certa autonomia ao Sudão, que passou a ser designado por Sudão Anglo-Egípcio.
Em 1881 iniciou-se o movimento pró-islâmico e antibritânico do Mahdi, que conseguiu tomar Cartum.
Apesar de o Madhi ter morrido em 1882, o Sudão continuou autónomo até 1898.
Nesta data, a Inglatrerra reconquistou o Sudão e proclamou a região condomínio anglo-egípcio.
Durante a II Guerra Mundial surgiu o problema da independência.
O Sudão, depois de uma fase de governo autônomo em 1956 tornou-se independente, proclamando-se uma república democrática e parlamentar.
Em 19 de Janeiro entrou para a Liga dos Estados Árabes e em 12 de Novembro para a ONU.
A vida política do novo país começou sob o signo da instabilidade. O Sul do país, africano tanto nas suas etnias como nas suas crenças e produtos, em forte contraste com o Norte, árabe e islamizado, teve efeitos decisivos nos destinos do Sudão.
O general Ibrahim Abbud apoderou-se do Poder em 1958. A política de islamização gerou um movimento de revolta.
Após o abandono do general Abbud (1964), as eleições e o parlamentarismo não resolveram a instabilidade insurreccional. Um golpe militar, em 1969, leva o general Nimeyri a chefe de Estado e primeiro-ministro.
Apoiado por socialistas, comunistas e sindicatos, nacionaliza os bancos e as companhias britânicas, e reforça os laços de amizade com os países socialistas. Escapa a vários atentados (1969 e 1970) e em começos de 1971 anuncia a criação de um partido único, de que fica chefe, a União Socialista Sudanesa.
Deposto por um golpe militar pró-comunista (1971), conseguiu retomar o poder. Foi eleito Presidente da República e alcança um acordo, em 27.3.1972, com a guerrilha.
Nimeyrin adoptara então uma política pró-ocidental e de aproximação preferencial com os países árabes moderados, sem deixar de buscar ajuda tanto na China como na União Soviética (1972), ao mesmo tempo que se reconciliava com Egipto em 1973.
A Constituição de 1973 consagrou o sistema de partido único e de autonomia para as províncias do Sul. Entretanto ocorrem sucessivos golpes militares falhados (Janeiro de 72, Outubro de 73, em 75, 76 e em 1981), após os quais houve depurações, sendo ferozes as que se seguiram a 1976.
A 9.8.1976, Nimeyri cedeu a chefia do Governo, e viu-se reeleito Presidente da República a 3.4.1977.
Socialista à maneira de Nasser, apoiou-se nos países árabes anticomunistas. Ao mesmo tempo, sonhando fazer do mar Vermelho um Mara árabe, auxiliou tanto os rebeldes da Eritreia como os movimentos hostis ao Governo Etíope.
Em 1983, o país fica oficialmente sob a lei islâmica.
Em 1985, Mohamed Taha, dirigente do movimento islâmico dos Irmãos Republicanos e opositor ao integrismo, foi executado.
Em Abril, Nimeyri visita os EUA, quando se desencadeia uma rebelião encabeçada pelo general Rahman Sewer el-Dahab.
Elementos do exército ocupam então os lugares de chefia e o movimento vitorioso promete uma carta de unidade nacional e uma política externa de não alinhamento.
Entretanto, desde 1983, a fome tinha vitimado mortalmente cerca de ¼ de milhão de sudaneses.
Em 1987, reacende-se o conflito étnico no Sul, opondo as tribos nilóticas árabes (nuer, fertit, mundari) aos negros (dinka), cristãos e animistas. O líder John Garang, ocupa faixas de três províncias do Sul.
A determinação dos rebeldes em encerrar o espaço aéreo sublevado pôs termo às ajudas dos organismos internacionais.
No fim de Junho de 1989, uma junta militar presidida pelo general Omar Hassan el-Béchir depôs o primeiro-ministro Sadek el-Madhi.
Foi deliberada a suspensão da constituição provisória e a dissolução da Assembleia Constituinte, do Conselho de Ministros e do Conselho Superior de Soberania, assim como de todos os partidos e associações de carácter não religioso.
Béchir é reconduzido em 1993, ano em que o Sudão foi visitado pelo Papa João Paulo II.
Continuam a fome e a guerra, apesar de a queda de Mengistu, na Etiópia, ter privado os rebeldes de um importante apoio.Entretanto, o movimento de guerrilha engrossou: ao combate pela ab-rogação da lei islâmica seguiu.se a reinvidicação de autonomia territorial.
Sucedem-se tentativas vãs de estabelecer a paz.
Em 1995, o Sudão é acusado de envolvimento no atentado contra o presidente do Egipto, Mubarak, e de proteger o terrorismo internacional.
No Sul, a fome continua a grassar e, em 1998, tem mesmo de haver um cessar-fogo para facilitar a ajuda humanitária.
Os EUA atingem um alvo sudanês como represália por diversos atentados contra interesses americanos.
O presidente sudanês, reeleito em 19996, é reconduzido em 2000 e apela ao fim da guerra civil.
Em 2002 é conseguido um cessar-fogo, mas o bombardeamento de alvos civis no Sul veio de novo ensombrar as negociações, retomadas em 2004.

Sudão I

Estado da África Oriental.
Tem uma superfície de 2.505.813 Km2 e cerca de 37 milhões de habitantes . Confina a norte com o Egipto, a nordeste com a Líbia, a oeste com o Chade e a República Centro-Africana, a sul com a República Democrática do Congo, o Uganda e o Quénia, a este com a Etiópia e a Eritreia, sendo banhado, em 853 km, pelo mar Vermelho.
A capital é Cartum. A língua oficial o árabe. O islamismo (sunita) constituí religião oficial. A unidade monetária é o dinar (SDD).

Geografia Humana e Económica
A população sudanesa é etnicamente heterogénea (existindo mais de 500 etnias: Dinkas, Nubas, Bejas, Nuers, Zandes, etc.) que falam cerca de 200 dialectos, apesar da política de arabização.
A grande diferenciação é, porém, entre negros e árabes.
A economia do Sudão debate-se com graves problemas. A agricultura ocupa 72% da força de trabalho e representa 40% do PNB, apesar de as produções agrícolas terem um decisivo grau de dependência das condições climatéricas.
As principais culturas são a do algodão, do amendoim, cereais, goma arábica (de que é um grande produtor, cana-de-acúcar, tapioca, batata doce, e frutas (mangas, papais, bananas).
A indústria tem dimensão reduzida. Emprega 9% da mão-de-obra e representa 10% do PNB.
Apesar disso, abrange a fiação de algodão e os têxteis em geral, bem como, armamento ligeiro e montagem de automóveis.
Após ter aceite as políticas macro-económicas do FMI, o Sudão estabilizou a inflação e, a partir de 1999, começou a exportar crude - o petróleo é o seu maior recurso natural, para além de pequenas reservas de ferro, cobre, crómio,m zinco, tungsténio, prata e ouro.
Este aumento da produção veio reanimar alguma indústria e revigorar a refinação para consumo doméstico.
Uma enorme dívida externa constitui um obstáculo sério ao crédito internacional, e que, somada à instabilidade continuada devido à guerra civil, impõe graves limitações ao crescimento económico sudanês, cuja população é maioritariamente afectada pela pobreza.

Escuta

Acção de escutar, (ant.) pessoa que escuta, lugar onde se escuta, escuteiro, (ant.) o mesmo que esculca, à escuta: de ouvidos atentos, alerta.

Cassete

De metal ou plástico, usa-se para vários tipos de filme, fotográfico ou fita audiomagnética.
Existem cassetes de óxido de ferro, de ferricromo e de dióxido de cromo.

Início

Depois de muito ter percorrido e observado entre os blogs nacionais cheguei à conclusão que estava na hora de dar início a este projecto.
Este blog irá consistir na definição de conceitos de assuntos que estejam ou não na actualidade.
Irei recorrer a algumas enciclopédias para a definição desses assuntos.
Não farei regularmente opiniões sobre os assuntos em causa, porque não é disso que se trata esete projecto.
O grande objectivo deste blog é essencialmente esclarecer, definir e ajudar todos aqules que por aí escrevem nos blogs.
Sejam bem vindos e espero que vos agrade este projecto.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?